Órgãos Sociais

Estamos sempre disponíveis para conversar. Ajude-nos a cumprir a nossa missão. Fale connosco!

Histórico de Órgãos Sociais

Mandato 2019-2023

Direção
Presidente:
Eurídice Furtado Monteiro (Uni-CV, Cabo Verde)
1º Vice-presidente: Jacqueline Freire (UFPA, Brasil)
2º Vice-presidente: Carlos Cardoso (CESAC, Guiné-Bissau)
3º Vice-presidente: Ricardo Cardoso (Yale-NUS College, Singapura)
4º Vice-presidente: Flávia Brito do Nascimento (USP, Brasil)
Secretário: Odair Barros Varela (Uni-CV, Cabo Verde)
Tesoureira: Gertrudes Oliveira (Uni-Piaget, Cabo Verde)

Conselho de Política Científica
Angola: Cesaltina Abreu (UAN, Angola) e António Tomás (UCT, África do Sul)
Brasil: Marina Pereira de Almeida Mello (UNIFESP, Brasil) e Basilele Malomalo (UNILAB, Brasil)
Cabo Verde: Iva Cabral (UL, Cabo Verde) e Nardi Sousa (Uni-Santiago, Cabo Verde)
Guiné-Bissau: Artemisa Odila Cande Monteiro (UNILAB, Brasil) e Joacine Katar Moreira (INMUNE, Portugal)
Moçambique: Carla Braga (UEM, Moçambique) e Maria Paula Meneses (CES-UC, Portugal)
Portugal: Deolinda Adão (UC Berkeley, EUA) e Idalina Baptista (Oxford U, Reino Unido)
São Tomé e Príncipe: Maria das Neves Ceita Batista de Sousa (ULSTP, São Tomé e Príncipe) e Esterline Gonçalves (ULSTP, São Tomé e Príncipe)
Timor Leste: Valentim Ximenes (UNTL, Timor-Leste) e Nguyen Therese Thi Phuong Tam (UNTL, Timor-Leste)

Conselho Consultivo
– A constituir pela Direção

Conselho Fiscal
Presidente: Tiago Castela (CES-UC, Portugal)
Vogal: César Melo (Unicamp, Brasil)
Vogal: Gilson Lázaro (UAN, Angola)

Mesa da Assembleia Geral
Presidente: José Manuel Mendes (FEUC e CES-UC, Portugal)
Secretária: Isabel Maria Casimiro (UEM, Moçambique)
Secretário: Raul Mendes Fernandes (UAC, Guiné-Bissau)
Secretário: Benjamin Xavier de Paula (UF Uberlândia, Brasil)

DIREÇÃO

Eurídice Monteiro

Presidente

Socio-Politóloga, é Doutorada em Sociologia pela Universidade de Coimbra. Fez um curso avançado de Administração Pública em Bridgewater State University e um curso executivo de Liderança em Harvard Kennedy School, nos EUA.

É, desde 2014, co-coordenadora do Programa de Mestrado e Doutoramento em Ciências Sociais na Universidade de Cabo Verde.

Entre 2015-2018, foi Diretora da Cátedra Amílcar Cabral. Paralelamente à experiência de docência universitária, tem-se dedicado à investigação sobre a democracia e os processos políticos, sociais e culturais em Cabo Verde.

Recebeu vários prémios científicos e distinções pelo seu trabalho de investigação e intervenção pública: em Dezembro de 2007, foi galardoada com o “Prémio Nacional dos Direitos Humanos”; em 2015, com uma Menção Honrosa no âmbito da 9ª Edição do “Prémio CES-UC para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa”; em 2016, foi uma das contempladas com a bolsa Mandela Washington Fellowship for Young African Leaders (YALI) durante a presidência de Barack Obama.

Para além de artigos científicos em revistas especializadas e em coletâneas, é autora de dois livros académicos e um romance. Como professora universitária e investigadora, Eurídice Monteiro já recebeu convites para participar em conferências internacionais, pesquisar e leccionar em várias universidades em África, Europa, Estados Unidos e América Latina.

Jacqueline Freire

Vice-Presidente

Professora da Universidade da Federal do Pará (UFPA, Amazônia, Brasil). Doutorada em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido pela Universidade Federal do Pará (UFPA/NAEA/PDTU, Capes/conceito 6). Mestre em Planejamento do Desenvolvimento (UFPA/NAEA/ PLADES).

Membro do Grupo de Pesquisa e Extensão Educação e Cooperação Sul-Sul (ELOSS) cadastrado no Diretório do CNPq. Membro da Associação Brasileira de Estudos Africanos (ABE-África) e da Associação Internacional de Ciências Sociais e Humanas de Língua Portuguesa (AILPcsh).

Atua na área de Educação, Políticas Públicas, Juventude, Cooperação Sul-Sul.

Carlos Cardoso

Vice-Presidente

É Diretor do Centro de Estudos Sociais Amílcar Cabral (CES-AC). Doutor em Filosofia pela Universidade Friedrich-Schiller, Jena – Alemanha e com mestrado em Antropologia.

Foi Diretor do Departamento de Pesquisa do Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais em Africa (CODESRIA) com sede em Dakar.

Tem inúmeras publicações versando sobre temas relacionados com a Guiné-Bissau e África, nas disciplinas de História, Sociologia Política e Antropologia Social. Antes de ingressar na CODESRIA foi Diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP) Guiné-Bissau (1998-2004) e docente na Universidade Lusófona de Lisboa (Portugal).

De entre as suas publicações mais relevantes destacam-se: Readings in Methodology: African Perspectives (Dakar: CODESRIA, 2011); ”Relendo Amílcar Cabral 33 anos após a sua morte”, in A Guiné-Bissau Contemporânea. Estudos pós-coloniais (Torino: L’Harmattan Itália, 2008); “A transição democrática na Guiné-Bissau: um parto difícil”, in Cahen, M. (org.), Transitions liberales en afrique lusophone (Paris: Editions Karthala, 2005).

Ricardo Cardoso

Vice-Presidente

Professor Assistente de Ciências Sociais (Estudos Urbanos) do Yale-NUS College, na Universidade Nacional de Singapura, é doutorado em Planeamento Regional e Urbano, com especialização em Estudos Metropolitanos Globais, pela Universidade da Califórnia, Berkeley.

A sua pesquisa tem-se focado na questão urbana em Angola, mais especificamente na relação entre a economia petrolífera e as transformações que Luanda tem vindo a sofrer ao longo das últimas décadas.

De momento, faz parte de um projecto colaborativo intitulado “Grounding and Worlding Urban Infrastructure: Situated Challenges and Contradictions of Sustainability through African Cities”, onde desenvolve pesquisa sobre a relação entre Brasil e Angola e os seus impactos no desenvolvimento de Luanda.

Flávia Brito do Nascimento

Vice-Presidente

Professora do Departamento de História de Arquitetura e Estética do Projeto na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU USP. Bacharel e licenciada em História pela Universidade Federal Fluminense, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, obteve o título de mestre e de doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo.

Trabalhou em instituições de preservação do patrimônio cultural em diversos níveis (Iphan, Inepac e Unesco), desenvolvendo estudos de tombamento, inventários e trabalhos técnicos, como a Paisagem Cultural do Vale do Ribeira e o tombamento do Centro Histórico de Iguape. Integrou o grupo de pesquisa “Pioneiros da Habitação Social” escrevendo artigos para a série de livros de mesmo nome.

É autora de artigos científicos e dos livros “Entre a estética e o hábito: o Departamento de Habitação Popular (1946-1960)” e “Blocos de memórias: habitação social, arquitetura moderna e patrimônio cultural” (Edusp, no prelo).

É pesquisadora visitante do Labhoi – Laboratório de História Oral e Imagem da Departamento de História da Universidade Federal Fluminense. Suas pesquisas tratam principalmente dos temas de patrimônio cultural, políticas de preservação, patrimônio urbano, habitação social, conjuntos residenciais e história do Rio de Janeiro.

Odair Barros Varela

Secretário

Doutor em Sociologia pela Universidade de Coimbra e Pós-doutorando em Ciência Política pela Université du Quebec em Montreal (Canadá). É Professor Associado, investigador e coordenador do curso de licenciatura em Relações Internacionais & Diplomacia no Instituto Superior de Ciências Jurídicas e Sociais (ISCJS).

Também desempenha as funções de docente na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV). É investigador integrado do Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina (CEsA) e investigador associado do CODESRIA (Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa em Ciências Sociais em África).

Foi vencedor do Prémio Fernão Mendes Pinto 2013 com a tese de doutoramento intitulada “Mestiçagem Jurídica? O Estado e a Participação Local na Justiça em Cabo Verde: uma análise pós-colonial”, trabalho que recebeu, no mesmo ano, uma Menção Honrosa do júri do Prémio CES para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa.

Conta com várias publicações em livros e revistas nacionais e internacionais e participação em conferências nacionais e internacionais. De entre as suas publicações destaca-se ”Migration in Cape Verde Islands. Legal and Policy Framework”, European Scientific Journal, Special Edition 2013; “Cabo Verde: A Máquina Burocrática Estatal da Modernidade (1614-1990)”, in Sarmento, C. M.; Costa, S. (orgs.), Entre África e a Europa. Nação, Estado e Democracia em Cabo Verde (Coimbra: Almedina, 2013).ções.

Gertrudes Oliveira

Tesoureira

É doutora em Educação, com especialização em Perspectivas Didácticas em Áreas Curriculares, pela Universidade de Santiago de Compostela, Espanha; mestre em Administração e Planificação da Educação pela Universidade Portucalense, Portugal, onde também fez a sua licenciatura em Ciências Históricas, após concluir o grau de bacharel em Ensino da História na ex-Escola de Formação de Professores para Ensino Secundário da Praia – Cabo Verde.

É Diretora do Centro de Investigação e Relações Institucionais na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde onde também é docente desde 2001, tendo leccionado várias disciplinas e orientado diversos trabalhos de estágio e monografia nas áreas das Ciências humanas e sociais.

Na Universidade Jean Piaget de Cabo Verde desempenhou igualmente funções de diretora da Unidade de Ciências Humanas Sociais e Artes; coordenadora do curso de Ciências da Educação; coordenadora do Gabinete de Estudos e Planeamento. Tem participado em diversos congressos nacionais e internacionais e publicado diversos artigos científicos.

CONSELHO FISCAL

Tiago Castela

Presidente

Doutorado em História da Arquitetura e do Urbanismo pela Universidade da Califórnia, Berkeley (EUA), e licenciado em Arquitetura pela Universidade Técnica de Lisboa (Portugal).

A sua atual investigação incide sobre a genealogia do planeamento no projeto do desenvolvimento do pós-guerra através da análise da história do urbanismo colonial em Moçambique do fim da Segunda Guerra Mundial à independência, concentrando-se no modo como o planeamento estatal português geriu a produção informal de periferias urbanas na atual cidade de Maputo.

Coordena o projeto de investigação exploratória “Aspirações Urbanas em Moçambique Colonial/Pós-Colonial: O Governo da Divisão Desigual de Cidades, 1945-2010”. Investigador pós-doutoral no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

César Melo

Vogal

Formou-se em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2001, e obteve seu mestrado (2004) e doutorado (2008) em literatura hispânica na Universidade da Califórnia, em Berkeley (EUA).

De 2008 a 2013 foi professor-doutor [Assistant Professor - Tenure Track] de literatura luso-brasileira no Departamento de Literaturas e Línguas Românicas da Universidade de Chicago (EUA). É professor do departamento de teoria literária da Unicamp desde 2013.

Gilson Lázaro

Vogal

Doutorado em 2017 em Estudos Africanos no Instituto Universitário de Lisboa, Portugal.

A sua tese de doutoramento intitula-se “Dinâmicas da violência política: negociação da normalidade durante e após o conflito armado na província de Malanje, Angola”.

CONSELHO DE POLÍTICA CIENTÍFICA

ANGOLA

Cesaltina Abreu

Doutorada em Sociologia pela Universidade Cândido Mendes - Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro, Brasil. É professora da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Agostinho Neto (UAN, Luanda, Angola) onde chefia o Departamento de Sociologia.

É membro do Conselho Científico-Pedagógico da mesma Faculdade e doCentro de Recursos Pedagógicos, CEREPE. Leciona no Cursos de Licenciatura (coordena a opção Sociologia Política e Governação), de Mestrado em Sociologia da Faculdade de Ciências Sociais, e de Mestrado em “Ordenamento e Planeamento de Áreas Urbanas”, da Faculdade de Engenharia-Departamento de Arquitetura da UAN. É membro da WATERLAT-GOBACIT, Rede internacional de pesquisa, ensino e ação prática relativamente às políticas e gestão da água.

Foi docente da disciplina de Sociologia no Curso de Arquitetura da Universidade Lusíada de Angola, coordenadora do Programa de apoio a organizações da sociedade civil angolana da IBIS (ONG dinamarquesa) e diretora executiva do Fundo de Apoio Social, FAS. É co-fundadora e co-coordenadora do Laboratório de Ciências Sociais e Humanidades (LAB) na Universidade Católica de Angola (UCAN).O seu trabalho de pesquisa está divulgado em publicações nacionais e estrangeiras.

António Tomás

Tem doutoramento em Antropologia cultural pela Columbia University, em Nova Iorque. É autor de uma biografia sobre Amílcar Cabral, com o título o Fazedor de Utopias (Lisboa: Tinta da China, 2018).

Tem trabalhado de forma permanente ou como visitante em várias instituições de ensino superior nomeadamente Makerere Institute of Social Research (Uganda), École des Hautes Études en Sciences Sociales (France), University of Cape Town (África do Sul).

É presentemente coordenador do mestrado em estudos urbanos do African Center for Cities (University of Cape Town, South Africa).

BRASIL

Marina Mello

É doutorada em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP - Brasil) e mestre em História Económica pela mesma universidade, concluiu estágio pós doutoral com pesquisa realizada no CES/UC - Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, com financiamento da CAPES. Leccionou nas áreas de antropologia, cultura popular, etnomusicologia, multiculturalismo, história e educação nos cursos de pedagogia e música da UniCaieiras e FACFITO, atuando também como pesquisadora da UAB/CAPES.

É professora adjunta da UNIFESP- Universidade Federal de São Paulo. Desenvolve pesquisas no campo da educação para as relações étnico-raciais (e suas intersecções com género, raça, classe, nacionalidade, geração), aspetos da educação  decolonial e justiça cognitiva; África e diásporas africanas. Foi professora colaboradora do Curso de Difusão Cultural do Centro de Estudos Africanos da USP (CEA-USP) entre os anos de 2006 e 2017 e da UNILAB (CE).  Ministrou cursos (CEA/USP, NEAB-UFSCAR e PMSP) de formação para professores da educação básica visando o atendimento das leis 10.639/03 e 11.645/08 que dispõem sobre a obrigatoriedade do ensino da história e culturas africana, afro-brasileira e indígenas na educação básica

Orientou pesquisas sobre etnicidade e multiculturalismo; relações entre cultura e educação; formação de professores, capacitação para a aplicação da lei sobre o ensino da história e culturas africanas, afro-brasileiras e indígena na educação básica; São Paulo no início do século XX, paulistanidade, brasilidades e africanidades; imprensa negra paulistana, das quais resultaram inúmeras publicações.

Basilele Malomalo

Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquista/UNESP (2010), é docente de graduação e do Mestrado Interdiscipinar em Humanidades (MIH) do Instituto de Humanidades e Letras (IHL) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), coordenador do Grupo de Pesquisa África-Brasil: Produção de conhecimentos, sociedade civil, desenvolvimento e cidadania global, pesquisador associado do Centro dos Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN-UNESP); da Rede para o Constitucionalismo Democrático Latino-Americano e Member of United Nations - Harmony with Nature.

Tem experiência na área de Ciências sociais, Historia da África e do Negro no Brasil, atuando principalmente nos temas seguintes: sociologia africana, estudos das relações raciais, multiculturalismo, desenvolvimento sustentável, cooperação internacional, ensino da história e cultura africana e afro-brasileira.

CABO VERDE

Iva Cabral

Estudou em Moscovo e S. Paulo, onde se licenciou em História. Doutorada em História pela Universidade de Cabo Verde. É Reitora da Universidade Lusófona de Cabo Verde.

Foi Diretora do Instituto da Cultura da Guiné-Bissau, fez parte da equipa que realizou o projeto «História Geral de Cabo Verde», tem trabalhado em projetos de salvaguarda do património histórico da Guiné-Bissau e de Cabo Verde, nomeadamente ligados a Amílcar Cabral e à luta pela independência nacional.

Foi Diretora dos Serviços de Documentação da Assembleia Nacional de Cabo Verde, Coordenadora Nacional dos projetos MOST da UNESCO, membro da Comissão de Candidatura da Cidade Velha a Património da Humanidade e membro do Conselho de Administração do Instituto de África Ocidental (IAO).

Nardi Sousa

Sociólogo, Doutor em Ciências Sociais, Professor na Universidade de Santiago. Chefe do Departamento de Ciências Jurídicas e Sociais, Diretor da Revista Cabo-verdiana de Ciências Sociais. Autor do livro Imigração e Cidadania Local: Associativismo Imigrante e Políticas Públicas de Portugal. Prémio Direitos Humanos 2017 com o Trabalho Direitos Humanos e Cidadania dos Imigrantes em Cabo Verde e São Tomé (1991-2015): Um Estudo Comparado (Financiado pelo CODESRIA).

Entre outros artigos científicos, é autor de “A Gestão das Migrações em Cabo Verde e São Tomé e Príncipe: Uma análise Comparada (1991-2014)”, “A Questão Racial em Angola nas últimas Décadas do Colonialismo (1947-1973): interações entre brancos, indígenas e “segundos europeus”, “A Outra Face do janus Cabo-verdiano: Análise Crítica da Violência Juvenil em Cabo Verde”, “Os jovens dos Bairros: Problemas de Ordem Pública ou ‘Passageiros Silenciosos’ do Guetto para a Prisão?”, etc.

GUINÉ-BISSAU

Artemisa Monteiro

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Piauí -UFPI(2003) e Licenciatura em Sociologia (UFPI), Mestre em Estudos Étnicos e Africanos pela Universidade Federal da Bahia- UFBA(2008), Doutora em Ciências Sociais- UFBA(2013). Fez pós-doutorado no Programa de pós-graduação em Ciências Sociais da UFBA. É professora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira(UNILAB).

Vem dedicando-se nas seguintes áreas: Estudos africanos,História da África com ênfase nas Identidades africanas, mulheres africanas, mulherismo e género em África,nação, nacionalismo especificamente na literatura bissau-guineense. Tem pesquisado sobre identidades negras,mulheres negras e sua correlação com estéticas africanas e suas representações.

Tem-se dedicado ao curso de formação dos professores centrado na Educação das relações étnicos-raciais voltados principalmente para os professores da rede publica do ensino, com vista a implementação do Ensino da Lei 10.639/2003. É pesquisadora de Núcleo sobre Africanidades e Afrodescendência - IFARADÁ-UFPI, e coordenadora do projeto de pesquisa sobre relações raciais, gênero, identidades étnicas - PIBIC/UNILAB-2017.

Atualmente, é coordenadora executiva da Rede Internacional de Mulheres Africanas na Unilab - RIMA. Vice-coordenadora do IFARADÁ entre 2004-2005; Foi Membro da Comissão Permanente do Congresso Internacional Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais (2002-2006).

Joacine Katar Moreira

Doutor em Sociologia pela Universidade de Coimbra, obteve o seu DEA - Diploma de Estudos Aprofundados, na Universidade de Paris VIII (França). No passado foi professor do Liceu Nacional Kwame N´Krumah, entre 1975-79, investigador permanente no INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, na Guiné-Bissau.

De entre os seus interesses de pesquisa destacam-se os conflitos ambientais, questões de género, processos identitários e cidadania, e os debates em torno à Globalização. Tem vários trabalhos publicados, incluindo fernandes, R. M. (1989), A participação das mulheres de Canhabaque na economia nacional. Bissau; FERNANDES, R. M. (1992), Parti unique et pouvoirs traditionnels : le cas de la Guiné-Bissau. Bordeaux: Centre d'Études d'Afrique Noire; FERNANDES, R. M. (1993), ‘Partido único e poderes tradicionais’, Soranda: revista de estudos Guineenses, vol. 16, pp. 39-50; FERNANDES, R. M. (2009),’Dilemas e Conflitos nos Bijagós’, Soronda, v. 15.

MOÇAMBIQUE

Carla Braga

Lecciona na Universidade Eduardo Mondlane (Maputo, Moçambique). Tem um PhD e um MA da Universidade Estadual de Nova York, Buffalo (EUA), e foi beneficiária da Ruth Bowden International Fellowship. Trabalhou extensivamente uma variedade de questões de género na América Latina e em África, bem como sobre o impacto do HIV/SIDA em comunidades rurais.

Maria Paula Meneses

Investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. É doutorada em Antropologia pela Universidade de Rutgers (EUA), tenho obtido o seu mestrado na Rússia (U. Estatal de S. Petersburgo). Co-coordena o curso internacional de e-learning em Epistemologias do Sul (CLACSO-CES). Anteriormente foi Professora da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique).

É membro do CODESRIA – Conselho para o Desenvolvimento da Pesquisa Cientifica em África. Leciona atualmente em vários programas de doutoramento.

Em termos de investigação tem vindo a trabalhar sobre temas relativos ao pós-colonialismo, com incidência no contexto moçambicano, ao pluralismo jurídico - com especial ênfase para as relações entre o Estado e as 'autoridades tradicionais' no contexto africano, e ao papel da história oficial, da memória e das ´outras´ histórias no resgate de um sentido mais amplo de pertença no campo dos processos identitários contemporâneos, temas que têm encontrado reflexo nas suas publicações.

PORTUGAL

Deolinda Adão

É Diretora Executiva do Portuguese Studies Program na Universidade da Califórnia, Berkeley, Diretora Assistente do Centro da União Europeia, na mesma Universidade e Professora de Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas no Peralta Community College District. em Berkeley, Califórnia.

Todo o seu percurso académico decorreu na Universidade da Califórnia, Berkeley onde em 2000 concluiu uma Licenciatura em Estudos Hispânicos com a tese The Construction of a National Identity in Macunaíma and Biografía de un Cimarrón; Mestrado em Línguas e Literaturas Hispânicas com enfase em Estudos Luso-Afro-Brasileiros terminado em 2002, e Doutoramento em Estudos Luso-Brasileiros concluído em 2007 com apresentação da tese As Herdeiras do Segredo: As Personagens Femininas na Ficção de Inês Pedrosa.

Interessa-se particularmente por Estudos de Género e Estudos Pós-Coloniais, assim como temas relacionados com a comunidade Portuguesa da Califórnia. As suas mais recentes publicações incluem: As Herdeiras do Segredo – Personagens Femininas na Ficção de Inês Pedrosa e uma tradução ao Inglês do poema “As Portas que Abril Abriu” de Ary dos Santos.

Idalina Baptista

Idalina Baptista é Professora Associada em Antropologia Urbana na Universidade de Oxford (Reino Unido). Dirige actualmente o Doutoramento em Desenvolvimento Urbano Sustentável e lecciona no Mestrado em Desenvolvimento Urbano Sustentável.

A sua investigação foca-se nos temas da urbanização, infraestruturas, energia e governança e planeamento urbano em cidades Moçambicanas e Portuguesas.

O seu trabalho adopta uma abordagem multi-disciplinar, integrando contribuições intelectuais e metodológicas dos estudos urbanos, geografia, antropologia e estudos sociais de ciência e tecnologia. Possui um PhD in City and Regional Planning (University of California, Berkeley), Masters in Landscape Architecture (University of California, Berkeley) e Licenciatura em Engenharia do Ambiente (Universidade Nova de Lisboa).

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Maria Batista de Sousa

É licenciada em Economia, com especialização em Finanças e Créditos, Mestre em Finanças e Crédito e Doutora em Ciências Sociais, na especialidade de Desenvolvimento Socioeconómico. Professora de Economia da Universidade Lusíada de São Tomé.

Possui uma ampla experiência técnica, de consultoria e de participação política nos mais altos cargos electivos e administrativos, tendo exercido as funções de Primeira-Ministra de São Tomé e Príncipe entre 2002 e 2004.

Esterline Gonçalves Género

Doutor em Ciências Sociais pelo ISCSP-Universidade Técnica de Lisboa, Portugal, é também diplomata de carreira. É docente universitário e coordenador do curso de licenciatura em Relações Internacionais na Universidade Lusíada de São Tomé e Príncipe.

TIMOR LESTE

Valentim Ximenes

Valentim Ximenes lecciona na Faculdade de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Nacional Timor Lorosa'e (UNTL). Licenciado em Ciências Governamentais pela UNTIM da Indonésia em 1994, e Mestre em Ciências Políticas pela Graduate School of Art and Sciences, Ateneo de Manila University, Filipinas em 2000. Investigador no domínio de Governação e Administração Pública. Fez o seu curso de doutoramento em Território, Risco e Políticas Públicas na Universidade de Coimbra, Portugal.

Nguyen Tam

Professora a tempo integral do Departamento Desenvolvimento Comunitário e, vice-decana assunto pós-graduação e pesquisa na Faculdade de Ciências Sociais da  UNTL. É doutorada em Sociologia (Desenvolvimento e Política Social), Licenciada e Mestre em Serviço Social. As suas várias publicações debruçam-se sobre mulheres e água e saneamento, mulheres e a adopção de melhores tecnologias de cozinha, mulheres e os usos do tempo, mulheres em agricultura e mobilidade de mulheres académicas no Sudeste Asiático.

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

PRESIDENTE

José Manuel Mendes

Doutorado em Sociologia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Portugal, onde exerce as funções de Professor Associado.

Investigador do Centro de Estudos Sociais, tem trabalhado nas áreas das desigualdades, mobilidade social, movimentos sociais e ação coletiva e, mais recentemente, nas questões relacionadas com o risco e a vulnerabilidade social.

É coordenador do Observatório do Risco - OSIRIS, sediado no Centro de Estudos Sociais. Tem uma vasta obra publicada, tendo o seu trabalho sido galardoado, em 2011, com o Prémio Análise Social 2011 do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

SECRETÁRIOS

Isabel Maria Casimiro

Doutorada em Sociologia pela Universidade de Coimbra. Integra o Centro de Estudos Africanos da Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique desde 1980, sendo pesquisadora do Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança (Moçambique).

É co-fundadora da WLSA (Women and Law in Southern Africa Research and Education Trust) Regional (1988) e da WLSA Moçambique (1990); é também fundadora do Departamento de Estudos da Mulher e Género do CEA (1990). Co-fundadora de algumas organizações moçambicanas, entre as quais o Fórum Mulher, MULEIDE.

Os seus trabalhos situam-se na área dos direitos humanos das mulheres, movimentos sociais de mulheres e feministas; desenvolvimento, governação e democracia participativa.

De entre as suas obras de maior relevo estão ‘Paz na Terra, Guerra em Casa’. Feminismo e organizações de Mulheres em Moçambique (Maputo: PROMÉDIA, 2004); “African Women’s Movements”, em Changing Political Landscapes, organizado por Aili Mari Tripp, Joy Kwesiga e Alice Mungwa (New York: Cambridge University Press, 2009); Empoderamento Económico da Mulher, Movimento Associativo e Acesso a Fundos de Desenvolvimento Local, com Amélia Neves de Souto e a colaboração de Josina Nhantumbo e Augusta Maíta (Maputo: Centro de Estudos Africanos, 2010).

Raul Mendes Fernandes

Doutor em Sociologia pela Universidade de Coimbra, obteve o seu DEA - Diploma de Estudos Aprofundados, na Universidade de Paris VIII (França). No passado foi professor do Liceu Nacional Kwame N´Krumah, entre 1975-79, investigador permanente no INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, na Guiné-Bissau.

De entre os seus interesses de pesquisa destacam-se os conflitos ambientais, questões de género, processos identitários e cidadania, e os debates em torno à Globalização.

Tem vários trabalhos publicados, incluindo fernandes, R. M. (1989), A participação das mulheres de Canhabaque na economia nacional. Bissau; FERNANDES, R. M. (1992), Parti unique et pouvoirs traditionnels : le cas de la Guiné-Bissau. Bordeaux: Centre d'Études d'Afrique Noire; FERNANDES, R. M. (1993), ‘Partido único e poderes tradicionais’, Soranda.

Benjamin Xavier de Paula

Foi investigador pós-doutoral no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, no Núcleo de Estudos sobre Democracia, Cidadania e Direito (DECID), com financiamento da CAPES Brasil.

É Professor do Ensino Superior Adjunto na Faculdade de Educação da Universidade de Federal de Uberlândia.